Intolerância alimentar: o que é e quais os tipos mais comuns?

Diferentemente do que ocorre em determinados tipos de alergia, a intolerância alimentar, embora não seja uma condição fatal, trata-se de um problema importante, haja vista que pode comprometer diretamente a qualidade de vida dos pacientes acometidos.

Em via de regra, tanto as intolerâncias quanto as sensibilidades alimentares são condições menos raras do que se imagina. Prova disso é que aproximadamente 20% das pessoas no mundo apresentam algum tipo de intolerância alimentar.

No post de hoje vamos analisar os tipos mais comuns de sensibilidades alimentares, seus sintomas e apresentaremos alguns dos alimentos que devem ser evitados. Boa leitura!

O que é intolerância alimentar, afinal?

A intolerância alimentar refere-se, basicamente, a alergias e demais tipos de hipersensibilidade a alguns alimentos. Sendo assim, apesar de seus sinais e sintomas se assemelharem em diversos aspectos, intolerâncias e alergias são condições distintas.

Em caso de crises relacionadas à intolerância, por exemplo, os primeiros sintomas tendem a ocorrer horas após o paciente ter ingerido algum tipo de alimento do qual é intolerante. Por outro lado, os sintomas podem ser retardados por até dois dias ? o que torna ainda mais difícil identificar o alimento ofensivo.

Isso porque o diagnóstico desse tipo de problema se dá principalmente por meio de dietas eliminatórias, pensadas especificamente para buscar minimizar o uso de alimentos nocivos ou, ainda, através da realização de outros testes.

Quais os tipos de intolerância mais comuns na alimentação?

Dentre os alimentos que são frequentemente consumidos aos quais determinado paciente é intolerante, nem sempre será fácil correlacionar os sintomas a tal alimento especificamente. No entanto, sabe-se que alguns alimentos estão mais fortemente associados a quadros de intolerância. São eles:

Laticínios

A lactose é, em termos simples, um tipo de “açúcar” presente no leite e seus derivados. Para que seja devidamente digerida pelo organismo, é necessário a presença de uma enzima denominada lactase. Sua ausência, portanto, impede que a lactose presente no leite seja devidamente absorvida. Consequentemente, o paciente pode apresentar sintomas digestivos importantes, tais como inchaço, dor abdominal, diarreia e náuseas.

Glúten

O glúten é uma proteína que pode ser encontrada facilmente em alimentos à base de trigo, cevada e centeio. No entanto, diferentes condições clínicas estão associadas ao seu consumo, como a doença celíaca, dentre outras.

No paciente celíaco, se destaca o comprometimento do sistema imunológico, uma vez que se trata de uma doença autoimune. Na prática, a exposição ao glúten pode gerar danos importantes ao trato digestivo — como dor abdominal, constipação, gases, náusea, perda de peso e diarreia — do paciente acometido pela condição.

Cafeína

A cafeína é uma substância comumente encontrada em bebidas estimulantes, tais como cafés, chás, energéticos e refrigerantes. Quando consumida, pode aumentar o estado de alerta e reduzir sinais de fadiga, por exemplo.

Embora a maioria dos indivíduos adultos possam consumir esse tipo de alimento em segurança, outros são mais sensíveis, podendo apresentar reações significativas mesmo ao ingerir pequenas quantidades.

De modo geral, tal hipersensibilidade à cafeína está relacionada a fatores genéticos, bem como condições que levam a diminuição da capacidade de metabolizar o alimento. Consequentemente, pode-se apresentar sintomas como ansiedade, insônia, agitação e aumento dos batimentos cardíacos.

As intolerâncias listadas acima estão entre os tipos mais comuns. No entanto, existem muitos outros alimentos e ingredientes aos quais as pessoas podem ser intolerantes, incluindo:

  • Salicilato: produto químico natural encontrado em diversos tipos de alimentos, incluindo frutas e legumes);
  • FODMAPs: carboidratos osmóticos que de difícil digestão, uma vez que, em alguns pacientes, produzem gás e geram inchaço e desconforto;
  • Frutose: açúcar simples presente em frutas e legumes, xarope de milho, etc.

Aspartame: adoçante artificial comumente usado em substituição ao açúcar comum.

Concluindo, a intolerância alimentar está associada ao consumo de uma série de alimentos que, por sua vez, desencadeiam sintomas geralmente pouco graves. Esses alimentos, por sua vez, geram um impacto negativo para a saúde dos indivíduos.

Agora que você conhece os principais alimentos que causam intolerância alimentar, compartilhe este post com outras pessoas para que estas também fiquem por dentro do assunto

Compartilhe:

Outros Posts

Open chat
Olá, podemos te ajudar?