Como diminuir os impactos da baixa umidade na saúde?

Ao contrário do que se imagina, o clima seco — bastante característico nos meses mais frios — também está presente durante o verão. Isso porque, dependendo da região, esse tipo de fenômeno é comumente observado, sobretudo em dias extremamente quentes.

Independentemente do período, os impactos da baixa umidade estão diretamente associados ao agravamento de doenças respiratórias como a asma ou o aumento de infecções virais e bacterianas.

Além disso, o clima seco também pode provocar irritação nos olhos e, em casos mais graves, gerar insuficiência pulmonar e até mesmo cardíaca. Diante disso, é fundamental compreender as medidas que podem ser tomadas para minimizar esse tipo de ocorrência.

Pensando nisso, neste post vamos mostrar como reduzir os impactos da baixa umidade na sua saúde. Boa leitura!

Quais os impactos da baixa umidade para a saúde?

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a umidade relativa do ar deve estar entre 50% e 80%. No entanto, quando se registram dados abaixo de 30%, é comum que algumas pessoas mais suscetíveis a problemas respiratórios apresentem desconfortos.

Isso normalmente acontece em razão dos impactos da poluição ambiental, afinal, a dispersão dos poluentes não ocorre de maneira adequada, já que este processo fica comprometido quando a umidade do ar atinge níveis mais críticos.

Como consequência da condição climática, alguns indivíduos podem apresentar o ressecamento das mucosas e vias aéreas, bem como da pele. Logo, fica mais fácil o desenvolvimento de doenças respiratórias e dermatites, decorrentes dessa desidratação.

Como se prevenir de doenças durante o clima seco?

Não é possível controlar o clima sob nenhum aspecto. No entanto, há maneiras eficientes de se preservar a saúde durante os dias mais secos do ano. Dentre as medidas preventivas recomendadas, destacam-se alguns cuidados pessoais e ambientais.

Saiba mais sobre cada uma deles a seguir:

Cuidados pessoais e ambientais para minimizar os impactos da baixa umidade

  • lave o nariz com soro fisiológico frequentemente a fim de se evitar o ressecamento;
  • beba bastante água e demais líquidos como sucos e chás;
  • evite levar as mãos à boca, nariz e olhos;
  • adote uma rotina de exercícios físicos fora dos horários de maior incidência dos raios solares;
  • utilize protetor solar e hidratantes para manter a pele bem hidratada e protegida.
  • evite permanecer em locais fechados ou com baixa circulação de ar;
  • mantenha a casa sempre limpa e arejada, já que objetos como cortinas, carpetes e tapetes podem acumular organismos nocivos à saúde, como ácaros e fungos;
  • minimize o uso de vassouras para fazer a limpeza diária, uma vez que esta pode espalhar ainda mais o pó, gerando problemas respiratórios importantes;
  • se possível, utilize ventiladores de teto na função “exaustor” para eliminar o ar contaminado;
  • não queime resíduos no quintal.

Essas são apenas algumas dicas que podem ser muito úteis na hora de se dirimir os impactos da baixa umidade na saúde. Por isso, esperamos que tenha aprendido algumas maneiras práticas e simples para diminuir os efeitos do tempo seco.

Se este conteúdo lhe foi útil e deseja aprender um pouco mais sobre doenças respiratórias, que tal conferir um pouco mais sobre as principais alergias de verão?

Compartilhe:

Outros Posts

Open chat
Olá, podemos te ajudar?